Os reptos de Migra Miño-Minho

Os reptos de Migra Miño-Minho

Na zona de intervenção do projeto existe uma notável perda de qualidade do habitat e das águas superfícies da cuenca do Minho, que unido à sobreexplotación dos recursos pesqueiros das diferentes espécies migradoras (especialmente enguia e lamprea) supõem um importante risco ambiental, com uma clara incidência na economia local da zona e que também põe em risco um elemento básico da identidade cultural e histórica local partilhada a ambos lados da fronteira em relação ao aproveitamento destes recursos pesqueiros.

Os reptos a conseguir com a implantação do Projeto Migra-Minho são coerentes com os objetivos territoriais da área de cooperação fundamentando-se nos seguintes aspetos:

Repto 1: Melhorar o estado de conservação do habitat fluvial da cuenca do rio Miño no seu trecho internacional a partir de um plano de intervenção conjunta que contribua à melhoria das populações de peixes migradores. Este repto está online com os objetivos da área de cooperação de melhorar a qualidade das águas superficiais, em especial daquelas áreas naturais de alto valor ecológico ou incluídas na Rede Natura 2000. Na área de intervenção do projeto localizam-se 5 espaços da Rede Natura 2000 (ZEC Baixo Miño (E1140007), ZEC Rio Tea (E1140006), Rio Minho (PTCON0019), Corno do Bico (PTC0N0040) e Estuários dois Rios Minho e Coura (PTZE0001).

Repto 2: Articular medidas de gestão conjunta de pesca fluvial na cuenca do rio Minho no seu trecho internacional. Este repto supõe dar cumprimento ao objetivo da área de cooperação de trabalhar na gestão conjunta das cuencas fluviais, neste caso orientado a uma regulação conjunta da cuenca do rio Minho desde o ponto de vista da exploração dos recursos pesqueiros comuns, especialmente salmón, enguia e lamprea, que são a base de uma atividade local muito relevante e que lhe dá à zona uma identidade local singular e partilhada.

Repto 3: Reforçar e melhorar o estado de conservação das populações dos peixes migradores no rio Minho. Pela primeira vez, pretende-se compartilhar estratégias e ações em favor das espécies migradoras baixo a focagem de aplicar medidas de conservação comuns e coordenadas da cuenca internacional. Desta maneira reforça-se o repto da gestão piscícola conjunta, que além de ter um benefício ambiental contribui a reforçar uma atividade económica básica na zona de intervenção.

Repto 4: Avaliar objetivamente o impacto das estratégias conjuntas implementadas para a melhoria do estado de conservação do habitat e das espécies de peixes migradores na cuenca internacional do rio Minho. Também é um repto do projeto estabelecer procedimentos comuns e levar a cabo as ações necessárias para avaliar o grau de impacto na melhoria do estado de conservação das espécies de peixes migradores, o que reforça ainda mais a estratégia de cooperação conjunta entre as instituições com concorrências na matéria entre Galiza e o Norte de Portugal e contribui a sentar as bases para a elaboração de instrumentos de planejamento e ordenação dos espaços naturais e dos recursos ambientais

“Este projeto está cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020″