Lampreia marinha (Petromyzon marinus)

barra-colores
  • Descripçao
  • Habitat
  • Ciclo de vida

A lampreia marinha é um peixe de corpo cilíndrico e serpentiforme com uma boca com forma de ventosa e coberta de dentes pequenos e cónicos. Distingue-se da lampreia fluvial pela dimensão da ventosa. É de cor cinzenta ou castanha com manchas pretas, a pele é lisa e sem escamas e possui duas barbatanas dorsais. Pode atingir 60-90 cm de comprimento e até a 120 cm na maturidade e vive 8-9 anos.

É um migrador anádromo: nasce nos rios e neles as larvas passam a maior parte da sua vida até atingir a forma adulta.

As formas larvares de lampreia designam-se por amocetas e vivem enterradas em fundos de areia ou sedimentos finos e alimentam-se de algas e detritos.

A vida adulta decorre no mar, sobre a plataforma continental ou em mar aberto a 200-500 m de profundidade, e alimentam-se parasitando outros peixes e mamíferos marinhos.

O período larvar em águas continentais dura uns 6 anos e, depois de um período de metamorfose durante o verão, a lampreia migra ao mar em outono para completar o seu crescimento. Permanece no oceano entre 1-2,5 anos e quando atinge a maturação sexual inicia a migração para o rio para se reproduzir, durante a primavera. Depois da desova, a morte é rápida.

  • Estado de conservaçao
  • Fatores de ameaça
  • Medidas de conservaçao

Na Europa e em Espanha esta espécie está classificada como vulnerável. Em zonas como Andaluzia e norte da península está em perigo de extinção, mas no rio Minho o seu estado pode ser considerado como bom.

erarse como bueno.

As ameaças que têm uma grande importância no estado atual das suas populações são: a perda da qualidade química da água por causa da poluição; a redução do habitat disponível pela construção de obstáculos no leito do rio; a perda de qualidade hidromorfológica do habitat e a importante pressão pesqueira, principalmente na Galiza.

As medidas de conservação são:

  • Depuração das descargas
  • Favorecer o passo migratório
  • Monitorização de áreas de reprodução e de crescimento de amocetes
  • Gestão da pesca baseada em parâmetros biológicos e na valorização do produto, em cooperação com os pescadores.