Plano de Trabalho

barra-colores

São 4 as atividades principais do projeto

Atividade 3

Reforço e melhoria das populações de peixes migradores

barra-colores
Icon-act_3

Vão ser realizadas ações com o intuito de melhorar o estado de conservação de três das espécies mais emblemáticas da bacia do rio Minho: a enguia, o salmão e o sável.

Porque é necessário?

barra-colores

De acordo com os resultados obtidos do Inventário de peixes fluviais no rio Minho e afluentes, realizado no quadro do projeto POCTEP NATURA Miño – Minho há uns anos, a situação é especialmente preocupante no caso do salmão. A presença de alevins reduz-se a muito poucos rios, sendo o rio Tea o que concentra uma maior quantidade deles. A população de sável também está numa situação de risco com uma redução do seu stock muito notável nas últimas décadas.

Por outra parte, a população de enguia também está em condições precárias, em valores residuais ou muito baixos em muitos troços dos afluentes do rio Minho. Em relação a esta espécie, uma grande quantidade de pequenas enguias ficam ao pé da barragem de Frieira na sua tentativa de remontar o leito do Minho e perecem.

o Que é que se vai fazer?

barra-colores

Serão implementadas ações para favorecer o estado de conservação da enguia (através de um plano anual de traslação de enguias a rios afluentes galegos e portugueses), a criação de um stock de salmão e a análise das potencialidades para criar outro para o sável.

Esta atividade estrutura-se em três ações que são as seguintes

  • Ação 1. Plano de transferência de enguia da barragem de Frieira a rios tributários

    Esta atuação consistirá na captura das enguias cujo remonte no rio Minho impede a barragem de Frieira (Ourense). Serão capturadas pequenas enguias (uns 650 quilos anuais de crianças de enguia) que costumam chegar ao pé da barragem todos os anos nos meses de julho e agosto.

    Serão capturados exemplares de maneira regular durante o período de tempo de chegada das enguias ao pé da barragem que serão transportadas imediatamente a localizações de diferentes rios tributários para jusante que apresentem condições idóneas para o desenvolvimento dos juvenis de enguia. Este plano de transferência beneficiará os rios tributários da Galiza e de Portugal. Com esta ação vai incrementar-se a taxa de sobrevivência dos alevins de enguia e vai contribuir para aumentar a densidade populacional da espécie na sub-bacia do troço internacional do rio Minho, dando cumprimento às medidas para a recuperação da população da enguia europeia aprovada pelo Conselho de Ministros Europeu (EC Reg. 1100/2007).

  • Ação 2. Criação de um stock reprodutor de salmão procedente do rio Minho. Análise das potencialidades para o sável

    Na atualidade não existe um stock reprodutor de salmões procedente do rio Minho. A Xunta de Galicia tem uma experiência importante ao respeito e mantém stocks reprodutores de salmões, como o correspondente ao rio Lérez e o rio Ulla, que se localiza na estação do rio Almofrei em Pontevedra. Através desta ação será criado um stock reprodutor estável de salmão realizando capturas de reprodutores na estação de captura da barragem de Frieira que chegam todos os anos em inverno. Estes exemplares serão transladados a instalações da Xunta de Galicia para realizar a reprodução forçada dos exemplares.

    Consistirá na incubação e o desenvolvimento dos primeiros estádios dos juvenis de salmão até a sua posterior solta em localizações de rios tributários com condições ótimas para o seu desenvolvimento. Esta solta será realizada principalmente em rios tributários do Minho da Galiza, sempre para jusante da barragem de Frieira num número próximo dos 20.000 exemplares anualmente.

    Aproveitando a logística existente na barragem de Frieira, em especial a estação de captura, é objetivo também desta ação analisar o sistema atual e fazer uma avaliação sobre a potencialidade de reprodução do sável (Alosa alosa), dado que o rio Minho é um dos poucos rios europeus onde existe uma população funcional desta espécie.

    Dadas as características biológicas da espécie, em especial a dificuldade da sua sobrevivência quanto ao contacto com redes, visa-se provar e aperfeiçoar o sistema de captura e transporte de reprodutores para a geração de um potencial stock reprodutor e a reprodução forçada dos exemplares ao igual que vai ser realizado no caso do salmão.

  • Ação 3. Avaliação do sucesso reprodutor do salmão e do sável a pé da barragem de Frieira

    O salmão e o sável são espécies migradoras que depois de nascer nos rios se desenvolvem no mar e regressam aos leitos fluviais para a sua reprodução. No caso do rio Minho o ascenso das duas espécies finaliza ao pé da barragem de Frieira, barreira insuperável na sua viagem migratória. Ante esta situação é frequente que os exemplares que chegam a este ponto realizem o que se denomina tecnicamente uma “desova forçada”; isto é, reproduzem-se nas imediações do pé da barragem de Frieira.

    Até a data não foi avaliado o sucesso reprodutor desta desova forçada para estas espécies. Com esta ação vai ser realizado pela primeira vez um estudo de campo sobre o sucesso reprodutor desta desova forçada, o qual pode condicionar as estratégias de apoio direto à conservação das duas espécies. Em particular, vai ser analisada a adequação ou não da criação destas espécies em cativeiro em função dos resultados obtidos.

Indicadores de resultado

  • 40.000

    Juvenis de salmón libertados em afluentes do Trecho Internacional do Rio Miño

  • 2.600

    Quilos de angulón traslocados desde o embalse de Frieira (1,2 milhões de instâncias)

  • 20

    Instâncias de sável incluídos no estudo do Estoque reprodutor