ANÁLISE DE POTENCIALIDADES PARA A CRIAÇÃO DE UM STOCK REPRODUTOR DE SÁVEL RELATÓRIO INTERMÉDIO – 2019

ANÁLISE DE POTENCIALIDADES PARA A CRIAÇÃO DE UM STOCK REPRODUTOR DE SÁVEL RELATÓRIO INTERMÉDIO – 2019

A Ação 2 da Atividade 3 do projecto MigraMiño-Minho prevê a tarefa de avaliar as possibilidades para a futura criação de um stock reprodutor de sável (Alosa alosa) do rio Minho.
Este peixe migrador, foi o que mais sofreu com a progressiva construção das barragens no rio Minho. Espécie que não utiliza os afluentes como habitat de recurso para a reprodução, limita-se ao curso principal, sendo que encontra áreas para a reprodução na parte superior do rio Minho internacional. Contudo, a perda de habitat foi brutal e possivelmente aumentou a probabilidade de produção de híbridos, dadas as condições de sobreposição de áreas de postura com a savelha (Alosa fallax), que se verificam no rio Minho.

Entre 1914 e 1965, os valores oficiais de captura dos pescadores portugueses de sável reportaram um valor médio anual de 61 000 indivíduos. Entre 1966 e 2017, estes valores diminuíram para valores médios anuais de 1 800 indivíduos, o que correspondeu a uma diminuição aproximada de cerca de 97%. Parece haver uma relação próxima com a progressiva construção das barragens na bacia do Minho no século XX e a redução do stock (figura 1). A variação interanual da abundância é uma evidência para as espécies migradoras, no entanto, atendendo à situação actual da população e ao facto de ser uma espécie com evidências de homing no seu ciclo de vida, a perda de área e qualidade do habitat, a hibridização com a savelha e as alterações climáticas colocam esta população, apesar de ainda funcional, numa posição muito vulnerável quanto ao futuro.

Assim, considerou-se no âmbito do projecto avaliar as potencialidades para a criação de um stock reprodutor, caso num futuro próximo o repovoamento, à semelhança do que acontece com o salmão, seja uma medida a implementar.

Consulta o relatório completo neste enlace.