Solta de salmãos co apoio das Armadas portuguesa e espanhola

Solta de salmãos co apoio das Armadas portuguesa e espanhola

A Direcção Geral de Patrimônio Natural e o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) realizarão a próxima sexta-feira 4 de maio uma solta de juvenis de salmão no Troço Internacional do rio Minho. Esta ação, que será apoiada pelas Armadas Portuguesa e Española, se enquadra numa das atividades do projeto Migraminho, em concreto na denominada “Reforço e melhora das poboacións de peixes migradores”.

O rio Minho representa na atualidade o límite da distribução sul do salmão atlântico en Europa. Desde finais dos anos 90 ata a atualidade, a Conselheria de Meio Ambiente e Ordenaçao do Territorio ven desenvolvendo un programa de recuperação do salmão atlântico nos rios galegos, entre os que se atopa o Minho.

Estas atuaçãos estão centradas na melhora da accesibilidade, o control da pesca e a melhora das poboacións mediante repoboacións con reprodutores autóctones. Actualmente o río Tea (principal afluente do Miño na súa marxe galega) xunto ó río Mouro (afluente na marxe portuguesa) representan, junto a algumas áreas do curso principal, as únicas zonas de reprodución e cría natural do salmão atlântico na bacia do rio Minho. Recentente comezou a funcionar uma estação de captura na presa de Frieira, primeira barreira infranqueable do curso principal do río Miño. Dende entón, captúranse juvenis de enguia e reprodutores de salmão para o seu traslado á piscifactoría de Carballedo, onde se reproducen de forma artificial e críase a súa descendencia. Assim, formouse un stock de salmãos de orixe no rio Minho para o reforço das poboaçãos neste rio.

Debido á seca do pasado outono, non se puideron fazer soltas nos afluentes de ambas marxes, un dos obxectivos deste projeto, polo que os técnicos da DXPN e do ICNF decidiram adialo ata a primavera e soltar os juvenis na fase de esguín, xusto antes da súa migração para o mar. Assim, a próxima sexta-feira día 4 de maio ás 11:00 (hora española) soltaranse un total de 6.000 esguíns desde a Comandancia Naval de Tui.