Salvaterra do Miño acolherá a jornada de apresentação do novo projeto POCTEP Migra miño- Minho

Salvaterra do Miño acolherá a jornada de apresentação do novo projeto POCTEP Migra miño- Minho

  • O projecto Migramiño- Minho tem como finalidade a protecção e a conservação de peixes migradores no trecho internacional do rio e os seus afluentes.
  • Também conta com um programa de actividades orientadas a melhorar o estado de conservação dos peixes.
  • Este projecto está co-financiado pela União Europeia através do FEDER e liderança pela Conselharia de Médio Ambiente e Ordenação do Território da Xunta de Galicia.

A Xunta de Galicia, por meio da Conselharia de Médio Ambiente e Ordenação do Território, será a anfitriã da jornada de apresentação do projecto Migramiño- Minho. Este projecto transfronteiriço busca fomentar a protecção e a conservação das espécies de peixes migradores, regenerar o estado de conservação dos canais fluviais e recuperar a biodiversidade do habitat fluvial do rio Miño.

Este encontro, que se celebrará na terça-feira 27 de novembro na Fortaleza de Salvaterra do Miño, tem como objectivo dar a conhecer as diferentes actividades que se levarão a cabo assim como os resultados atingidos até hoje no marco do projecto POCTEP Migramiño- Minho. O evento levar-se-á a cabo em horário de manhã, de 11.00 a 14.00 horas, e começará com uma bem-vinda, por parte da conselheira de Médio Ambiente e Ordenação do Território, Beatriz Mato, e o presidente da Câmara da Câmara municipal de Salvaterra do Miño, Arturo Grandal. Posteriormente, terá lugar a mesa redonda “Gestão e conservação dos peixes migradores na @Eurorrexión Galiza-Norte de Portugal. Impacto socioeconómico no Baixo Miño”, protagonizada pela chefa do Serviço de Conservação da Natureza de Pontevedra (Xunta de Galicia), o director da Estação Hidrobiolóxica “Barragem do Com” e o director do Aquamuseu de Vila Nova da Cerveira.

Trás uma pausa, dar-se-á passo à mesa redonda “O projecto Migramiño: protecção e conservação do habitat fluvial da bacía internacional do rio Miño” na que se apresentarão as activais que se vão desenvolver assim como os resultados temporões atingidos em Migramiño- Minho que irão acompanhados de um vinde-o por parte dos representantes dos sócios que integram este projecto.

Trás esta mesa redonda, procederá à apresentação da “Gestão da pesca fluvial nos rios afluentes no Baixo Miño. Normas comuns para A Galiza e Portugal” da mão do chefe do Serviço de Conservação da Natureza em Pontevedra (Xunta de Galicia) e um técnico superior da Divisão da Conservação da Biodiversidade do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas. A seguir, dar-se-á passo ao turno de perguntas e, trás esta, ao remate do acto para as 14.00 horas quando se servirá um vinho galego.

A jornada está especialmente dirigida a investigadores, biólogos, ecologistas e especialistas em património natural que desejem conhecer este novo projecto e as actividades que se levarão a cabo. Para assistir é preciso inscrever no endereço de correio electrónico info@migraminho.com ou através do telefone 986 419 922.

Migramiño: Protecção e conservação de peixes migradores no trecho internacional do rio Miño e os seus afluentes
O projecto Migramiño- Minho, que conta com um orçamento total de 2 131 548,92 €, repartido entre nove sócios, busca melhorar a protecção e a conservação do habitat fluvial da subconca do trecho internacional do rio Miño, desde a barragem de Freira até a sua desembocadura, com actuações de melhora do estado de conservação dos canais fluviais e das espécies de peixes migradores presentes nele e nos seus afluentes tributários.
Migramiño é um projecto co-financiado num 75 % pelo FEDER no marco do programa Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP) 2014-2020.

Neste projecto, liderança pela Direcção-Geral de Conservação da Natureza (Xunta de Galicia), participam o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, a Confederação Hidrográfica dele Miño- Sil, a Agência Portuguesa do Ambiente, a Universidade de Santiago de Compostela, o CIIMAR – Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental e a Câmara Autárquica de Vila Nova de Cerveira.