O Salmão Atlântico no Rio Minho – uma ponte, não uma fronteira – 2ª Solta em Tui do Projeto

O Salmão Atlântico no Rio Minho – uma ponte, não uma fronteira – 2ª Solta em Tui do Projeto

No passado dia 24 de maio, no enquadramento do Projeto Migramiño-Minho, realizou-se a segunda repoblación de salmón Atántico. Em concreto se soltararon em torno de 7.000 juvenis de salmón no rio Miño na Comandancia Naval de Tui as 11:00 da destreza, hora espanhola. Os pais dos juvenis soltados são reprodutores de salmón capturados na Presa de Frieira, primeiro obstáculo infranqueable para as espécies migradoras no rio Minho.

Depois do seu translado em outono à Piscifactoría de Carballedo (Cotobade-Pontevedra), a inícios do inverno estes são reproduzidos artificialmente e o seu descendencia é criada até as diferentes épocas de solta (verão, outono ou a seguinte primavera). O objetivo destas práticas não é outro que, reforçar a população de salmón do rio Minho, e desta forma favorecer a seu desenvolvimento cara o futuro.

Neste ano, para celebrar no Ano Internacional do salmón (https:// yearofthesalmon. org), convidou-se a colégios de Tui (Galiza) e Valença (Portugal) a participar nesta iniciativa. Juntos vão uma vez mais a aprender que o futuro do rio Miño está nas suas mãos.

As crianças de ambos lados da fronteira, aprenderam que a ecossistema fluvial junto de a proteção dos seus recursos dependem da cada um de nós, desta forma poder-se-á conseguir assegurar ao longo do tempo a perpetuación destas espécies migradoras além de estar disponíveis para as gerações próximas.

Este evento organizou-se pela Direcção-geral de Património Natural junto dos seus sócios do Migramiño e supervisionado pelas autoridades navais de Portugal e Espanha ( Capitania do Porto de Caminha e Comandancia Naval do Miño).

 2ª Gotas de Salmão no Rio Minho – Galeria